sexta-feira, 20 de maio de 2011

Cantiga para aliviar a dor


Img: Espanha, Salvador Dalí






















Teu sofrimento dói em mim também,
mas teu sorriso me faz rir da vida,
ter esperança que há de haver saída
para a tristeza que nos faz reféns

de nossos pares que por vezes nem
nos olham com os olhos de acolhida
que tanto precisamos. É dorida
a falta do carinho de outro alguém!

Cuido de ti, prometo que não vais
sofrer na escuridão, chorar de dor
nem quando a morte der os seus sinais.

De solidão, eu nunca vou deixar
sentires frio, sob o cobertor:
sempre estarei aqui pra te afagar.


© Márcia Sanchez Luz

21 comentários:

  1. Márcia querida, seu Soneto Cantiga para aliviar a dor, é simplesmente sublime, uma obra digna de grandes mestres do Soneto,além da delicadeza contida dentro do Soneto, que somente uma alma muito especial consegue em palavras descrever essa Dor. Parabéns,
    com admiração ,
    Efigênia Coutinho

    ResponderExcluir
  2. Isto tem nome! Chama-se solidariedade, fato visível nos seu poemas, Márcia!

    Beijos,
    Jorge

    ResponderExcluir
  3. Prezada Márcia:sou um leitor habitual de suas poesias e não posso deixar de dizer que gosto muito, principalmente dos seus sonetos.
    Théo Drummond

    ResponderExcluir
  4. Com que entao, um soneto também pode conter propriedades analgésicas. Bom, isso. Não seria de espantar se elas se manifestassem concretamente. Sei das prorpiedades terapêuticas da música, já reconhecidas pela medicina. Existe inclusive uma musicoterapia já bem estabelecida. É, seu soneto bem que pode ir na mesma linha, Márcia.
    Creio no alívio possível, mas aprecio também o soneto como tal, claro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi. Estive por aqui dando uma olhada. Gostei. Muito lindo aqui. Apareça por lá. Abraços.

    ResponderExcluir
  6. Olá Marcia estive aqui, trouxe flores do MEU JARDIM SECRETO, http://masesoares.blogspot.com/
    para enfeitar ainda mais teu blog.
    Deixo um abraço e meus cumprimentos pelo belo poema.
    Masé Soares
    Goiânia/Go

    ResponderExcluir
  7. Este soneto de Márcia Sanchez Luz, desenvolvido em tom coloquial, distenso e quase informal, é menos uma CANTIGA, no sentido usual do termo, do que uma CANÇÃO DE SOLIDARIEDADE com o próximo em situação crucial, quer seja parente, aderente ou outro qualquer que as pessoas tratam de modo desdenhoso em sua dor. Para todos, o seu grande cobertor.
    Casando o seu grande coração a sua impecável engenharia no trato da coisa poética, Márcia se expande cada vez mais entre aqueles que trabalham o poema como arte séria, não só no trabalho rigoroso com a palavra , mas também como instrumento de humanização, hoje nos tão necessária.

    Cicero Melo
    Recife, 20 de maio de 2011

    ResponderExcluir
  8. Márcia:
    Quem ainda tinha nutria dúvidas sobre
    os teus méritos de excelente poetisa,
    diluiu-as na leitura dos sonetos que
    expões na atualização do teu blog.
    Muito bem feitos e embebidos num lirismo
    que só os grandes poetas logram possuir.
    Parabéns!
    Humberto - Poeta.

    ResponderExcluir
  9. Sou grato à poesia mágica de Márcia, pois sua obra — não cabendo em si — transborda desses carinhosos gestos escritos a quem os queira receber. Ela nos presenteia... pois que Deus as usa (Márcia e sua poesia) para nos dar alento e uma porção de outras boas emoções.

    Resumindo: ler Márcia Sanchez Luz faz bem.

    Fabbio Cortez

    ResponderExcluir
  10. Márcia, ao não transigir na forma, transgride na extensão e amplitude do conteúdo: não admite limites nem fronteiras. A lapidação preciosa abre espaços para a simplicidade comovente, em palavras, de sentimentos profundos e intensos, como um gesto de amor e ternura contidos num beijo, num singelo afago, num delicado abraço... Chegasse, assim, qual invulgar berceuse até a morte transmudada em celebração da vida, e partiríamos felizes.
    Beijos, minha amiga querida.

    ResponderExcluir
  11. A esperança do acolhimento, qualquer a circusntancia, quando a solidão, a dor ou o prenuncio da morte estiverem germinado no nosso eu interior, sempre é eficiente e eficaz. Um êxtase para espírito e sentimentos mais afoitos...
    Assim degustei Teu Poema.
    Congratulações e:
    "ESTEJA E SEJA E FIQUE FELIZ!"
    Luiz de Almeida

    ResponderExcluir
  12. Aracéli Martins22 de maio de 2011 09:40

    Márcia, feliz quem pode contar com esse amor, não "eterno enquanto dure", mas eterno até a morte, como promete o teu belo compromisso. Como a utopia,na definição de Galeano: 'Nunca vou alcançá-la, pois se está a dez passos e dou dez passos, ela caminha à minha frente mais dez'(... )'Não sabia para quê existe a utopia; agora sei que ela existe para fazer caminhar'.

    ResponderExcluir
  13. Márcia as vezes tomamos algo para a dor física em conta gôtas. Mas para alma temos na leitura linha por linha dos teus sonêtos o alivio imediato das dores da paixão.

    ResponderExcluir
  14. A poesia pode ser também u m cautério, um bálsamo...

    ResponderExcluir
  15. Do amor, este sentimento que nos redime!

    Beijos, querida!

    ResponderExcluir
  16. Querida Márcia,

    quando a solidão transcende, o só acompanha cativa, fiel e completamente. Isso é Amor, cantado de forma magistral por teu soneto.
    Aplausos e o abraço fraterno de
    Regina Coeli/RJ.

    ResponderExcluir
  17. Márcia,
    o seu soneto é sublime. É uma tarde ensolarada de outono. Parabéns!

    ResponderExcluir
  18. Márcia,
    Tomei a liberdade de reproduzir esse seu poema, no meu blog. Espero contar com sua compreensão.
    Um beijo e tenha um ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir
  19. Obrigado pelo seu comentário, estou muito feliz por seus elogios.
    Eu vou estar lisonjeada se você usar algumas das minhas pinturas de seus poemas.
    Agora estou trabalhando em novas pinturas, espero em breve publicar um post com os novos empregos.

    Um abraço a partir de Itália

    Damaride

    ResponderExcluir
  20. Inda por demais bondosa e dedicada é a criatura, por amor.

    ResponderExcluir
  21. Olá... É a primeira vez que visito este blog, e digo com toda a certeza que é um dos melhores blog's poéticos que já visitei... Excelente poesia que li agora, digna de elogios.. Abraços.

    ResponderExcluir